Tokio Marine incentiva corretores de seguros a investirem em novos negócios

23.08.2019 - Fonte: Marcia Alves

1-José-Adalberto-Ferrara

No almoço com associados do CCS-SP, seguradora apresentou produtos e ferramentas criadas para profissionais que desejam fugir do “rouba-monte”.

O Clube dos Corretores de Seguros de São Paulo (CCS-SP) recebeu no dia 20 de agosto, no Circolo Italiano, em seu tradicional almoço mensal, a diretoria da Tokio Marine Seguradora. Acompanhado de outros executivos, o presidente José Adalberto Ferrara expôs no encontro os números detalhados do desempenho da empresa nos últimos sete anos, produtos e ferramentas recém-lançados e o planejamento estratégico para os próximos três anos.

Sexta colocada no ranking do mercado segurador, de acordo com dados da Susep até junho deste ano, a Tokio Marine cresceu 10,7% nos últimos doze meses, de agosto de 2018 a julho de 2019, superando a média do mercado, que atingiu 6,8% no mesmo período. Mas, o bom desempenho da empresa não se restringe apenas ao último ano, quando a economia apresentou fraco desempenho. Entre 2011 e 2018, a Tokio Marine cresceu 200%.

Com 60 anos de atuação no Brasil, atualmente, a seguradora conta com um cadastro de 25 mil corretores e 1,8 milhão de veículos segurados. Nos últimos doze meses, a Tokio Marine apresentou crescimento expressivo em diversas carteiras. No seguro automóvel, que representa 62,8% da sua produção, o crescimento foi de 5,9%, enquanto o mercado decresceu 0,9%.

Para Ferrara, o crescimento negativo do seguro automóvel é um dado preocupante também para os corretores que concentram sua atuação nesse ramo. “Esse crescimento foi muito em cima do rouba-monte, e isso não é bacana”, disse. Por esse motivo, a companhia decidiu expandir sua atuação em outros ramos, desenvolvendo ações para estimular os corretores a fazerem o mesmo.

Novos produtos

Um dos recentes lançamentos da seguradora é o Tokio Marine Aluguel, tanto para pessoa física com jurídica. Segundo Ferrara, o diferencial é a garantia do preço cotado. “O nosso preço está garantido lá na ponta, sem acréscimos, e isso faz a diferença no mercado de fiança locatícia”, disse. Outra novidade é o seguro para safras agrícolas, que abrange 82 culturas. “Lançamos há três meses e já alcançamos R$ 60 milhões em produção”, revelou.

Ferrara também citou os seguros D&O e o RC Eventos, que pode ser acessado por aplicativo, além do seguro para frotas de 3 a 50 veículos, com preço online, e o seguro para pequenos embarcadores e transportadores. “Gostaria que os corretores enxergassem esses produtos como oportunidades de negócios que farão crescer o bolo securitário”, frisou.

De acordo com o executivo, o seguro Auto Popular da companhia passou por reformulações e agora cobre desde veículos zero quilometro até com 25 anos de idade. “A vantagem é que podemos usar peças compatíveis, o que torna o preço 30% menor que outras modalidades de seguro de automóvel”, disse. Em sua visão, a expansão desse produto beneficiaria não apenas os segurados, como também o mercado ao enfrentar a concorrência com as associações e cooperativas. “Por isso, já convidei outros presidentes de seguradoras a também entrarem no Auto Popular”, afirmou.

O mentor do CCS-SP, Evaldir Barboza de Paula, elogiou a iniciativa de Ferrara de tentar envolver mais seguradoras como meio de combater o mercado irregular. “Quanto maior a oferta de produtos legais e com custos adequados, mais anêmicas ficarão essas associações. Precisamos dar uma resposta ao mercado marginal”, disse.

Estratégias

Um dos focos no planejamento da empresa para 2020/2022, segundo Ferrara, é a tecnologia, tanto que a seguradora já investiu R$ 100 milhões nessa área. Dentre as inovações estão o Brokertech, para estimular o empreendedorismo digital dos corretores em diversas áreas, incluindo o e-commerce. Uma das ferramentas oferecidas é o Youtokio, um canal de vídeo para treinamento e divulgação da corretora. “São soluções para o corretor entrar na era digital”, disse.

Para o mentor do CCS-SP, os corretores precisam conhecer melhor os produtos digitais. “O ciclo do seguro de automóvel está se encerrando e os corretores devem ficar atentos às novas oportunidades de negócios, como os seguros para riscos cibernéticos. Por isso, é importante entender como esses produtos funcionam”, disse.

O almoço do CCS-SP foi prestigiado pelos diretores da Tokio Marine, Valmir Rodrigues, João Luiz de Lima, Marcelo Goldman e Adilson Lavrador, pelo superintendente George Dutra e por autoridades do setor: Alexandre Camillo, presidente do Sincor-SP, Arnaldo Odlevati Jr., presidente CCS-ABCDMRR, Ednir Fornazzari, mentor CCS-Osasco e Região, Luiz Ioels, presidente Credicor-SP, Marcos Colantonio, presidente Aconseg-SP, Paulo de Tarso Meinberg, diretor do Ibracor, Octavio Milliet, presidente da APTS, e Pedro Barbato Filho, presidente Camaracor-SP.

Notícias Relacionadas