Bradesco Seguros, Brasilseg e Sompo deixam DPVAT

29.09.2020 - Fonte: Sonho Seguro

seguro-dpvat

Recentemente, Porto e Itaú anunciaram a saída como acionistas da Líder Seguradora, que administra o consórcio.

Depois da Porto Seguro e Itaú anunciarem na semana passada a saída do consórcio DPVAT, administrado pela Líder Seguradora, hoje foi a vez das empresas ligadas ao grupo Bradesco, Brasilseg, ligada ao Banco do Brasil, e a Sompo Seguros requisitarem e exercício do direito de retirada. Entre as grandes, restou praticamente a Caixa Seguros.

A entrada e saída das seguradoras do Consórcio do Seguro DPVAT é um processo previsto no instrumento de Consórcio. Porém, é somente no início de cada ano, em janeiro, que temos a posição oficial de quais seguradoras solicitaram a adesão ou o desligamento do Consórcio, informou a Líder em nota.

Além disso, continua, os movimentos de entrada e saída das seguradoras no Consórcio não prejudicam a operação do Seguro DPVAT. As seguradoras que saem do Consórcio DPVAT possuem a obrigação de constituir e integralizar a Reserva de Contingência, conforme definido na cláusula 12.3 do Instrumento do Consórcio, conforme a quota-parte de participação da Consorciada.

A Líder destaca que qualquer seguradora autorizada pela Susep a operar no país no segmento de seguros de danos e/ou pessoas pode, facultativamente, aderir ou sair do Consórcio de Operações do Seguro DPVAT, atualmente formado por 56 seguradoras consorciadas. Não há qualquer custo de entrada, basta querer fazer parte do time que administra este seguro e ter capital mínimo requerido para um segurador de abrangência nacional.

“Reiteramos que nada muda para o cidadão: motoristas, passageiros e pedestres continuam protegidos. E a Seguradora Líder permanece comprometida em atender com eficiência todas as vítimas de acidente de trânsito do Brasil”, afirma a administradora do DPVAT.

O consórcio tem buscado se reinventar para se manter vivo diante de muitas denúncias de corrupção e investigações do Ministério Público. O faturamento também despencou, com o valor do seguro obrigatório despencar nos últimos três anos. A receita com emissão de bilhetes foi de 2,1 bilhão em 2019, sendo R$ 929,7 milhões destinados ao Fundo Nacional de Saúde (45% da arrecadação) e R$103,3 milhões destinados ao Departamento Nacional de Trânsito – Denatran (5% da arrecadação). O valor foi 55,3% menor em comparação a 2018 (R$ 4,7 bilhões).

Em 2018, o Consórcio DPVAT tinha 76 seguradoras consorciadas, dentre as quais 56 também eram acionistas da Seguradora Líder. Em 2019, foi formalizada a saída de três delas, numa representatividade total de participação de 4%, finalizando o ano com 73 consorciadas, das quais, 55 acionistas da Seguradora Líder. No decorrer de 2019, 17 seguradoras solicitaram a sua saída do Consórcio a partir de 1o de janeiro de 2020, das quais, 11 acionistas da Seguradora Líder.

Notícias Relacionadas