Com duas licenças do Banco Central, Mercado Livre pretende procurar Susep

19.07.2021 - Fonte: CQCS

5f4bc058-9c46-014d-0c67-cf99383a44be

Segundo uma matéria veiculada no portal O Globo no último domingo (18), o Mercado Livre pretende negociar tudo. “Só não vamos vender o que não é permitido por lei”, diz o CEO da empresa, Stelleo Tolda, em entrevista para O Globo. Nos planos da plataforma de marketplace para os próximos meses, está oferecer diversos produtos, e ainda, distribuir uma gama maior de seguros.

De acordo com o portal, para isso, está no radar pedir uma autorização para a Susep, órgão regulador do mercado segurador – a empresa já tem hoje duas licenças do Banco Central e opera como instituição financeira. O objetivo é ampliar o leque de comodidades a clientes e lojistas e, assim, engajar mais usuários em sua plataforma.

O Mercado Livre já atua em pagamento, investimentos, crédito e começou a atuar em seguros. “Temos duas licenças no Banco Central. A de instituição de pagamento permite ter uma conta digital, fazendo PIX de um banco para a conta no Mercado Pago e assim o cliente usar os recursos. Além do consumidor final, há serviços para os lojistas do marketplace, como soluções de pagamento, como as maquininhas (de cartão de crédito)”.

De acordo com a entrevista ao portal, o Mercado Livre revelou que seguros é um “outro capítulo”. “Começamos mais recentemente com seguro contra roubo e dano de produtos eletrônicos. E temos oferecido garantia estendida na venda de eletroeletrônicos. Foi a nossa primeira entrada neste segmento. Mas vemos com bons olhos a nossa plataforma de distribuição para outras categorias de seguros”, afirmou.

Sobre oferecer produtos de vida e previdência, futuramente, a empresa revelou: “hoje os produtos são mais aderentes ao que já fazemos, por exemplo, você compra um tablet no mercado livre e no checkout a gente oferece a possibilidade da garantia estendida, é muito orgânico isso. Outros produtos não são tão integrados no fluxo de compra, mas podem fazer sentido dentro da oferta do Mercado Pago. Uma categoria que a gente explora ainda pouco é o segmento tanto de crédito como de seguros automotivos. Hoje não oferecemos isso. E entendemos que há uma demanda do crédito para aquisição de veículos, hoje oferecemos através de terceiros. Queremos fazer isso pelo próprio Mercado Livre futuramente. E o seguro automotivo faz todo o sentido para criar um vínculo com o consumidor que adquiriu o veículo na nossa plataforma, que contratou um empréstimo na nossa plataforma e que também na sequência pode contratar um seguro conosco”.

O Mercado Livre também afirmou que, procurar a Susep é uma das possibilidades para atuar no mercado. “Está dentro das nossas possibilidades. Mas não tem como precisar datas. É algo que vai acontecer em pouco tempo. São projetos para os próximos trimestres. Será dentro do prazo de um ano no máximo”, respondeu.

Notícias Relacionadas