Samba Lelê! As quentinhas do corretor Leandro que aquecem o coração dos que precisam

09.07.2021 - Fonte: Seguro Gaúcho

168557342_2523163224496390_7784583929633024580_n

A primeira edição do Chimarreando aconteceu ao vivo na noite de quarta-feira, 07 de julho, na página do Seguro Gaúcho no Facebook. Luiz Felipe Paradeda e Guilherme Paradeda entrevistaram o superintendente comercial da Apisul Corretora de Seguros, Leandro Garcia, o Lelê. O entrevistado falou de sua atividade profissional, de seu hobby, o Samba Lelê, e destacou uma impactante ação social criada por ele desde o início da pandemia, que está proporcionando alimentação aos moradores de rua.

Na abertura da entrevista virtual, Guilherme Paradeda enfatizou que o Chimarreando será um programa de entrevistas que irá dialogar com ícones do mercado segurador e divulgar aspectos relevantes de suas trajetórias profissionais e também pessoais.

Luiz Felipe Paradeda pediu ao entrevistado que ele falasse sobre sua história de vida, iniciando pela área profissional. Lelê fez um resgate histórico de sua trajetória relembrando que antes de ingressar na Apisul, em 1993, trabalhou em uma empresa que era líder do segmento de seguros em transporte de carga, a Pamcary. Mas foi na Apisul que Leandro Garcia construiu sua história profissional, onde iniciou como assistente comercial. Atualmente ele desenvolve suas ações no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, mas também nas regiões norte e nordeste do Brasil e pontualmente nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Ao falar sobre a evolução da área de transporte de carga, Lelê salientou que no passado as apólices eram direcionadas em maior número para os riscos deacidentes RCTR-C, no comparativo com as apólices de roubo e furto: “naquela época não havia as atuais ferramentas de ação de risco, como cadastro do motorista, monitoramento de gestão de risco, satélite, logística e toda a tecnologia que existe para evitar e mitigar sinistros, tanto nos casos de acidente como de roubo”. Na avaliação do superintendente comercial, a Apisul sempre procurou se desenvolver na medida em que o mercado crescia para conseguir atender da melhor forma possível seus clientes. “Em 1993 tínhamos pouco mais de 200 funcionários e atualmente a empresa conta com a atuação de mais de 1100 colaboradores”, observou.

O convidado destacou a excelência da estrutura atual da Apisul, que possui 180 pontos de atendimento, que são chamados de “pronta-resposta”. A empresa tem uma central nacional que presta atendimentonas 24 horas do dia, durante todo o ano: “dispomos de todas as ferramentas de gestão de risco e logística, para a Central disponibilizar em todo o processo um atendimento muito mais veloz para evitar saques e a dispersão da carga transportada”.

O superintendente comercial explanou sobre serviços e ferramentas que demonstram que a Apisul tem uma gestão estratégica e eficiente do transporte que está ampara na mais alta tecnologia. Alguns benefícios auxiliam os corretores que desejam ampliar sua atuação e comercializar apólices desse ramo. “Lançamos recentemente o Apicor que é uma célula criada para efetuar seguro para os corretores de seguro. O corretor que não atua com transporte de cargas, poderá colocar sua produção com a Apisul e ainda terá uma variável sobre todas as ferramentas de nossa empresa que ele comercializar junto aos seus segurados, que permanecerão com ele”, esclareceu Leandro.

Diante das informações divulgadas sobre o Apicor, Luiz Felipe Paradeda questionou quais são os aspectos mais vantajosos para os corretores de seguro. “A facilidade, a expertise e a tecnologia que o grupo Apisul dispõe para oferecer ao corretor. Esse profissional terá a sua disposição toda a estrutura de nossa empresa para atender ao seu cliente”, respondeu o corretor. Diante desse esclarecimento, Luiz Felipe Paradeda comentou que o Apicor oferece segurança e uma nova possibilidade para os corretores: “muitas vezes o corretor de seguros deixa de comercializar apólices de transporte de cargas por desconhecer esse segmento e pelo medo de perder o restante de sua carteira com receio do mau atendimento. Mas graças a Apisul, o corretor terá um atendimento qualificado, eficiente e ainda permanecerá com seu cliente”.

Guilherme Paradeda pediu que o entrevistado falasse sobre o samba, sua grande paixão. Nesse momento, o executivo do setor de seguros deixou de lado o trabalho, enfatizou a importância do lazer como forma de aliviar as tensões e preocupações do cotidiano. Ele resgatou lembranças do passado para explicar seu envolvimento com gênero musical. “Meu pai me ensinou a ouvir samba de raiz e com isso eu fui gostando cada vez mais desse tipo de música até me apaixonar. Com tempo criei um grupo de samba com amigos. A mistura de música, futebol e churrasco aos finais de semana foi início de tudo. Com tempo o futebol acabou, mas o churrasco e o samba permaneceram e cresceram muito. Foi assim que nasceu o grupo Samba Lelê”, recordou.

O grupo cresceu e se projetou, fazendo shows nos locais mais destacados de Porto Alegre e também em centros maiores: “temos músicas próprias, clipes e já fizemos apresentações em âmbito nacional. O Samba Lelê já acompanhou nomes de expressão da música nacional, como Arlindo Cruz e Almir Guineto”. Mas além do samba, Leandro Garcia ainda encontrou tempo para outra atividade que lhe proporciona satisfação e possibilita a ele exercer a cidadania.

Com a paralisação das atividades por causa da pandemia, Lelê passou a realizar ações sociais em Porto Alegre em março de 2020. “De um dia para o outro nos deparamos com uma cidade completamente vazia, com milhares de pessoas em condições de vulnerabilidade. Diante dessa triste realidade decidimos ajudar moradores de rua que não tinham onde pedir comida”, explicou Lelê.

Para amenizar a terrível situação, ele mobilizou um grupo de amigos e sócios do Clube dos Jangadeiros: “procuramos o restaurante do clube, que também amargava uma baixa demanda, e com um investimento próprio conseguimos produzir 150 refeições chamadas de quentinhas. Elas foram inspiradas numa refeição tradicional dos velejadores”.

Para surpresa de Lelê, logo após compartilhar a iniciativa nas redes sociais, o número de pessoas impactadas foi crescendo em progressão geométrica e as doações se multiplicaram: “foram surgindo novas e valiosas parcerias que superaram todas nossas expectativas. E isso nos motivou a realizar outras ações que aconteceram a cada 15 dias. Depois de 16 meses de atividade social, já entregamos mais de 7000 quentinhas, inclusive na noite de Natal e no almoço de Páscoa”, recorda.

A iniciativa alcançou moradores de rua e comunidades da Capital, como Ilha dos Marinheiros, Maria da Conceição, Campo da Tuca, Morro da Polícia, Vila Esperança, Vila Cruzeiro e o Centro. Além das refeições, também foram doadas fraldas, cobertores e kits de higiene. “Atualmente as entregas vêm ocorrendo nas terças e quintas no turno da noite, por sugestão dos próprios moradores de rua, já que aos finais de semana existem outros projetos realizando entregas”, esclareceu Lelê que demonstrou sentir-se feliz e grato por poder auxiliar os mais necessitados.

Os interessados em apoiar as ações sócias poderão estabelecer contatos com Leandro Garcia pelo telefone (51) 981794707, direto no restaurante da Ilha do Jangadeiros ou através do Pix direto do restaurante - Cnpj (09279618000107) e nome (pereira eventos gastronômicos eirelli).


Assista aqui o programa Chimarreando na íntegra.

Notícias Relacionadas